Área Restrita
Newsletter
Quinta-Feira, 24 de Julho de 2014
Notícias
tamanho fonte 12fonte 14fonte 16
8ª Marcha: Centrais recebem apoio do prefeito de São Paulo
8ª Marcha: Centrais recebem apoio do prefeito de São Paulo
Foto: Divulgação

Presidentes das centrais sindicais se reuniram, na manhã desta quarta-feira (19), com o prefeito Fernando Haddad e com o secretário Municipal do Trabalho, Arthur Henrique, para discutir a realização e o apoio à 8ª Marcha da Classe Trabalhadora, que acontece no dia 09 de abril.

Durante o encontro, o prefeito Haddad manifestou total apoio à atividade e se prontificou a manter o canal de diálogo aberto com os sindicalistas e contribuir para que a mobilização transcorra da melhor forma possível.

Diálogo aberto

O encontro serviu também para abrir um sistema de diálogo dos trabalhadores com a prefeitura de São Paulo.

O presidente da CTB, Adilson Araújo, propôs, inclusive, a criação de uma mesa permanente de debates sobre a pauta trabalhista. “O encontro foi positivo. O prefeito se mostrou receptivo e se comprometeu a oferecer todo o apoio necessário para a realização da Marcha, que defende avanços na pauta do conjunto da classe trabalhadora brasileira”, afirmou.

Para o sindicalista é fundamental se mantenha esse canal aberto com o governo municipal. “Nossa proposta, de criar uma mesa permanente encontrou respaldo no secretário do Trabalho de São Paulo, Arthur Henrique, e é fundamental para que consigamos avançar rumo à implantação de um projeto de desenvolvimento com valorização do trabalho”, destacou o presidente da CTB.

8ª Marcha da Classe Trabalhadora


Sob o mote “Trabalhadores vão às ruas por direitos e qualidade de vida”, diversas categorias, convocadas pelas centrais sindicais, ocuparão a Praça da Sé, região central da cidade paulistana, no dia 09 de abril para a 8ª Marcha da Classe Trabalhadora. De lá os trabalhadores os trabalhadores seguem ruma ao Masp, localizado na avenida Paulista.

Os sindicalistas esperam reunir cerca de 60 mil trabalhadores para o ato nacional, em São Paulo. No entanto, as estaduais deve promover atividades semelhantes em diversas cidades.

A mobilização marca a retomada da luta da “Agenda da Classe Trabalhadora”, que reúne as propostas para desenvolver o País com soberania, democracia e valorização do trabalho, num ano repleto de eventos importantes, como a Copa do Mundo e as eleições gerais no País.



Fonte: CTB - 19/03/2014
imprimir Outros Enviar para um amigo