Área Restrita
Newsletter
Sábado, 30 de Agosto de 2014
Notícias
tamanho fonte 12fonte 14fonte 16
Servidores do Pará protocolam Campanha Salarial Unificada
Servidores do Pará protocolam Campanha Salarial Unificada

Entidades sindicais dos servidores públicos do Pará, dentre elas a CTB, protocolaram junto ao governo a pauta da Campanha Salarial Unificada, que tem como palavras de ordens as revogações dos Decretos 945 e 954, reajuste salarial de 15% e vale alimentação de R$ 500,00.

A campanha, iniciou oficialmente com o protocolo de suas pautas de reivindicações e calendário de negociações na manhã desta quinta-feira (27). O documento foi recebido pelo diretor de Administração da Secretaria de Estado da Fazenda do Governo do Estado do Pará, Adilson José Mota Alves.

A campanha inicia impulsionada pelas lutas dos trabalhadores e trabalhadoras do serviço público do Pará contra os Decretos 945 e 954 do Governo, que “atacam e retiram direitos e reduzem vencimentos de servidores públicos, pois cortam Gratificações de Tempo Integral – GTI, horas extras, e inviabilizam a implementação dos Pccr’s e a construção de novos planos, bem como afetam negativamente a campanha salarial 2014, impossibilitando os reajustes salariais justos e de direito dos servidores públicos”, afirma José Marcos de Araújo, presidente estadual da CTB-PA.

Os sindicalistas avaliam que dentro do cenário em que o salário mínimo teve reajuste de 6,78% passando para R$ 724; a inflação nacional do período deverá ficar em 6 % (Inpc), enquanto que a inflação no Pará será de 10% segundo os índices do Idesp, instituto do Governo do Pará, e a cesta básica da região metropolitana é de R$ 300,00 sendo uma das mais caras do Brasil, para que haja, “a correção da inflação e garanta ganhos reais nos salários dos servidores, os sindicatos e as Centrais reivindicam um reajuste salarial de 15% e um vale alimentação de R$ 500,00, como piso, e para os trabalhadores que ganham um valor maior que este, propõe um reajuste de 15% sobre o valor do vale alimentação atual para todos os servidores do Pará” disse Ezequiel Sarges Carvalho, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Civis do Pará. 

Para os representantes sindicais, a unidade será a ferramenta para as lutas rumo as conquistas dos trabalhadores e no enfrentamento a intransigência do governo de Simão Jatene (PSDB), que implementa o desmonte do Estado, aniquila os direitos dos trabalhistas e impossibilita o avanço nas conquistas salariais e sociais dos servidores no Pará.

A escolha de protocolar a pauta de reivindicações da categoria na Secretaria da Fazenda decorre das argumentações do Governo de que houve redução no repasse do Fundo de Participação dos Estados e redução na arrecadação do Estado para o ano de 2014. Fato questionado pelos sindicalistas, tendo em vista, “as despesas e desperdícios de recursos públicos, como as milionárias campanhas de publicidade do governo e desonerações fiscais concedidas ao empresariado”, e por outro lado, “houve aumentando da arrecadação com a tarifa mineral”, argumenta Kleófas Dias, presidente do Sindicato dos Servidores das Fundações no Pará. 

No documento dos sindicatos e das centrais é apresentada uma agenda de negociações com o Governador do Pará, com reuniões nos dias 06, 11 e 13 de março no Centro Integrado de Governo – CIG. Os servidores vão realizar paralisação unificada no dia 17 de março, com concentração às 8h na Escadinha do Porto, início da Estação das Docas, com caminhada até o CIG em Nazaré, caso não avance as negociações, rumo à construção de uma greve geral dos trabalhadores no serviço público no Pará.



Fonte: CTB - 05/03/2014
imprimir Outros Enviar para um amigo