Notícia - Chapecó (SC): Sindicato dos Trabalhadores na Construção filia-se a organização internacional

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Chapecó (filiado na Força Sindical Nacional e de SC) agora tem representação internacional.

O Siticom acabe de ser aceito como filiado da Internacional de Trabalhadores da Construção e Madeira (ICM) com sede em Genebra, na Suíça. A filiação atendeu recomendação dos membros do Comitê Regional da América Latina e Caribe e de organizações já filiadas a ICM no Brasil. Foi aprovada pelo Comitê Mundial da organização.

A filiação do sindicato “torna a ICM mais forte” disse o presidente da instituição Klaus Wiesehügel, do sindicato nacional alemão IG-Bau. Para ele a adesão do Siticom aumenta a representatividade e capacidade de ação da entidade. Também reflete o bom momento que vive a América Latina “com um movimento sindical crescendo de acordo com o crescimento econômico, com mais associados e mais conquistas”.

A ICM é uma Federação Sindical Internacional que agrupa os sindicatos livres e democráticos, ligados aos setores de construção, materiais de construção, de madeira e silvicultura. É formada por 352 sindicatos representando mais de 12 milhões de trabalhadores em 135 países. Escritórios regionais e de projetos estão instalados em vários países e continentes um deles no Brasil.

A missão da ICM é promover o desenvolvimento dos sindicatos da área no mundo, promover e reforçar os direitos dos trabalhadores no contexto do desenvolvimento sustentável. A organização trabalha em estreita colaboração com a Federação Europeia dos Trabalhadores da Construção e da Madeira, Confederação Sindical Internacional e federações sindicais internacionais.

Fazer aqui - A presidente Izelda Oro disse que a aceitação do Siticom no quadro associativo da ICM (o primeiro de Santa Catarina) “é um marco histórico” e significa “o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelo sindicato”. Representa o estreitamento da relação entre sindicato para o aprimoramento das ações “mediante o uso de modelo internacional”. Vários conceitos, atitudes e realidades de outros países passam a integrar o cotidiano do sindicato para melhorar a atuação particularizada e até em questões nacionais.

Izelda citou medida do governo venezuelano decretando a concessão de seis meses de salário maternidade para as mulheres trabalhadoras e lá a jornada de trabalho é de 40 horas semanais. Enquanto isso no Brasil o auxílio maternidade é de apenas quatro meses e a jornada de trabalho chega de 44 horas por semana. Para a sindicalista os exemplos da Venezuela “deveriam ser adotados aqui”.

A Internacional tem estatuto consultivo especial junto ao Comitê Econômico e Social das Nações Unidas. Está comprometida com várias organizações internacionais entre elas a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Organização para a Alimentação e a Agricultura (FAO). O mesmo ocorre com instituições financeiras regionais e internacionais como o Banco Mundial e a Organização Mundial do Comércio.


Fonte:  Assessoria de imprensa do Siticom-SC - 14/06/2012


Comentários