Notícia - NCST participa de reunião na presidência da república sobre o 'ponto eletrônico'

O encontro contou com a presença de várias entidades patronais e do trabalho. Entre os representantes sindicais que compareceram na ocasião, Ledja Austrilino, Diretora de Educação, Cultura, Turismo e Desportos da NCST, marcou sua presença ao dar destaque aos aspectos positivos envolvendo a implantação do ponto eletrônico. “A carga horária justa; sem excessos, a diminuição dos processos trabalhistas e o número cada vez menor de trabalhadores com doenças resultantes do trabalho excessivo, é o que justifica a nossa posição favorável ao ponto eletrônico”, lembra Ledja Austrilino.


Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (M.T.E), já são 700 mil empresas, em todo o Brasil, que se utiliza do ponto eletrônico, uma ferramenta que faz o registro e contabiliza, de maneira justa, a jornada de trabalho do cidadão. “Tudo que for para favorecer o trabalhador, nós apoiamos. E o ponto eletrônico favorece em muitos aspectos o cidadão brasileiro”, destaca a Diretora da NCST.


Portaria 373



Ledja Austrilino, lembra ainda, que até hoje, existe grande dificuldade de se estenda o uso do ponto eletrônico. Até o surgimento de um projeto contrário às reinvindicações das centrais sindicais e da Portaria 373, que foi acatada e publicada pelo M.T.E, para favorecer o trabalhador, teria sido criada.


Esta Portaria (373), passou a ser obrigatória a partir de 1 de setembro de 2011. Ela dá especial atenção à verificação da regularidade dos bancos de horas e garante mais segurança no registro e sua inviolabilidade, conquista alcançada em benefício da classe trabalhista.


Objetivo da Reunião


A reunião teve o intuito de ouvir as entidades, os pontos a serem melhorados sobre o assunto em questão, para que com base nisto a Casa Civil busque atender as reinvindicações de todos. “Estamos discutindo a aplicabilidade do ponto eletrônico e não o seu custo, pois isto não é uma preocupação que deva ser dos trabalhadores, e sim dos patrões”, reforça a Diretora Ledja Austrilino.


Fonte:  NCST - 15/09/2011


Comentários