Notícia - Químicos de Araçatuba fecham acordos coletivos com quatro empresas do setor do etanol

Após a realização de algumas rodadas de negociações coletivas envolvendo o SINDALCO e empresas do setor do álcool/etanol de nossa região não foram efetivadas nenhuma proposta digna para concretização do acordo coletivo, não valorizando e esquecendo-se do seu maior patrimônio, que são os trabalhadores que produzem suas riquezas. Os representantes patronais radicalizaram oferecendo um reajuste abaixo do índice de inflação do período 2021/2022, apurado pelo INPC/IBGE, e ainda quiseram fazer o mesmo de forma parcelada, sendo a primeira parcela em julho e a segunda em novembro.

A direção do SINDALCO não aceitou as argumentações, tendo em vista o real avanço do setor e passou a buscar a negociação de forma individual com cada empresa, com o objetivo de conquistar um reajuste melhor para os trabalhadores da categoria.

Dessa forma a entidade já conseguiu concretizar um acordo digno para os trabalhadores de quatro usinas de etanol, sendo elas: Renuka do Brasil S/A, Glencane Bionergia S/A – Viterra, Virálcool Açúcar e Álcool LTDA e Lins Agroindustrial S/A.

Confira abaixo como foi o acordo feito com cada uma delas:

Empresa Renuka: reajuste no piso salarial de 100% do INPC/IBGE apurado no período de maio/2020 a abril de 2021 de 7,59% passando de R$ 1.365,91 para 1.469,58 e 7,59% também para as demais faixas salariais acima do piso, já a partir de 01 de maio, data base do setor, assim como a manutenção das demais cláusulas do acordo coletivo de trabalho anterior.

Glencane: reajuste no piso salarial de 100% do INPC/IBGE apurado no período de maio/2020 a abril de 2021 de 7,59% passando de R$ 1.365,91 para 1.469,58 e 7,59% também para as demais faixas salariais acima do piso, já a partir de 01 de maio, data base do setor, assim como a manutenção das demais cláusulas do acordo coletivo de trabalho anterior.

Virálcool: reajuste salarial de 7% de forma linear para todos os trabalhadores, já a partir de 01 de maio, data base do setor, assim como a manutenção das demais cláusulas do acordo coletivo de trabalho anterior.

Lins Agroindustrial: reajuste no piso salarial de 100% do INPC/IBGE apurado no período de maio/2020 a abril de 2021 de 7,59% passando de R$ 1.365,91 para 1.469,58 e para as demais faixas salariais acima do piso correção de 7%, já a partir de 01 de maio, data base do setor, assim como a manutenção das demais cláusulas do acordo coletivo de trabalho anterior.

O SINDALCO segue incansavelmente buscando um acordo digno com as demais empresas do setor do etanol, porém, até o momento, sem uma resposta positiva dos representantes patronais das empresas do Grupo Raízen (Destivale, Benálcool, Univalem e Mundial), Grupo Aralco (Figueira, Generalco e Alcoazul), Grupo Clealco (Clementina e Queiroz), Cafeálcool, Da Mata, Diana, Unialco, Ipanema e Vale do Paraná.


Fonte:  Pricila Rigon (Imprensa do Sindicato dos Químicos de Araçatuba e Região) - 18/06/2021


Comentários