Notícia - Lideranças da CSB no Rio Grande do Sul organizam live com parlamentares e membros de partidos

Na noite do dia 23 de julho foi realizada uma transmissão ao vivo (live) organizada por lideranças da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB). Mediado por Sérgio Arnoud, vice-presidente da CSB e presidente da Fessergs, o encontro visava debater a preservação dos empregos e dos direitos dos trabalhadores. Além disso foi feita uma defesa da vida do povo brasileiro, diante dos retrocessos e irresponsabilidades do governo de Jair Bolsonaro. 

Logo no início da transmissão, Arnoud ressaltou o caráter amplo da live, que conta com participantes de diferentes setores. “Teremos os representantes dos trabalhadores públicos e privados através das centrais sindicais e das federações das principais categorias. Teremos também a visão política da atual conjuntura a partir da presença de parlamentares e líderes de partidos políticos”. 

Os interesses do atual Governo Federal não está de acordo com os interesses do povo

Representando o Partido Democrático Trabalhista (PDT) estava Antonio Neto, que fez uma contundente crítica a postura do Governo Federal, que prioriza os lucros dos banco ao invés de ajudar o povo. “Nesta pandemia, com pequenos e médios empresários quebrando, empregos sendo destruído, quem é que está tendo lucro? Os bancos! Lá no começo da pandemia, Jair Bolsonaro e o seu ministro Paulo Guedes colocaram 1,2 trilhão, com “T” de tapioca na mão dos bancos! Um trilhão e duzentos bilhões de reais. Em troca os bancos restringiram o crédito e aumentaram os juros!”

Posteriormente, o líder da Fessergs também fez uma fala representando a CSB, onde ressaltou o caráter covarde e antidemocrático dos governos ao passar medidas danosas ao povo brasileiro em meio a pandemia de covid-19. “Durante a pandemia o Governo Federal e os governadores estaduais se aproveitaram do clima para ‘passar a boiada’, como foi dito na reunião ministerial. Eles tentaram e muitas vezes conseguiram passar projetos horríveis, que afetam tanto os trabalhadores públicos quanto os privados. Porém entendemos que a democracia vai sair fortalecida e os golpistas não serão vitoriosos”. 


Fonte:  CSB - 30/07/2020


Comentários