Notícia - Novo protesto dos motoboys em São Paulo

Hoje, 14 de julho, na parte da manhã, os motoboys junto com o SindimotoSP (Sindicato dos Motoboys de São Paulo) realizaram novo protesto por melhores condições de trabalho nas entregas realizadas por aplicativos, como iFood, Rappi, Loggi, Uber Eats.

Os trabalhadores se reuniram às 9 horas em frente a sede do sindicato no Brooklin. A Polícia Militar acompanhou a manifestação que do sindicato foram para o prédio do TRT da 2ª Região aonde ocorreu audiência com as empresas de aplicativos que acontecerá às 16 horas.

Os trabalhadores, além de defensores da CLT, têm outras reivindicações que é defendida por outros grupos que estiveram na primeira manifestação realizado em 1] de julho.

Eles reivindicam o aumento do valor por entrega, aumento do valor pago por quilômetro rodado, fim dos bloqueios e do sistema de pontuação, contratação de seguros de vida e conta acidente, roubo e furto de moto, fornecimento de itens como álcool em gel e máscaras (com mínimo de quatro por dia), e local fixo para higienização e licença remunerada para contaminados pela Covid-19 no trabalho.

“A questão do vínculo é um tema para nós desde 2015, mas agora a questão é que aumentou muito o número de motoboys e ciclistas e as entregas foram distribuídas, isso afetou diretamente a renda", afirma Gerson Silva Cunha, presidente interino do Sindimoto.

Em 2015, a média por quilômetro rodado era de R$ 4,58 e hoje existem casos que o valor é de R$ 0,70.

O trajeto até o TRT passará pela Câmara Municipal com o intuito de sensibilizar os vereadores de projetos de lei que estão tramitando na casa e que são contrárias aos anseios dos trabalhadores.


Fonte:  Redação Mundo Sindical - Manoel Paulo com informações da Folha de São Paulo / Foto: Djalma Vassão/FotosPublicas - 14/07/2020


Comentários