Notícia - Sindicato cobra e Prefeitura afirma que testará 90 mil trabalhadores da saúde

A Prefeitura de São Paulo oferecerá testagem para diagnóstico de Covid-19 a 90 mil trabalhadores da saúde municipal, na próxima segunda-feira (1º/06). A afirmação foi feita pelo secretário de Saúde, Edson Aparecido, em reunião da Mesa Técnica, após a direção do Sindsep questionar sobre o anúncio feito pelo gestor em entrevista à Rádio Bandeirantes.

De acordo com a secretária-adjunta, Edjane Maria Torreão Brito, dos 90 mil testes previstos para os trabalhadores da saúde municipal, 30 mil já foram realizados, resultando em 10 mil testes positivos, 15 mil negativos e 5 mil ainda sem confirmação.

“Deste universo de um terço que já foi testado, temos 33% de trabalhadores infectados, um índice muito grande de contaminação. Segundo estudo da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) divulgado recentemente pela imprensa, estima-se que o número de infectados na cidade de São Paulo é 11 vezes maior que o oficial, ou seja, enquanto o boletim da Secretaria Municipal de Saúde informa 51.852 contaminados até 25 de maio, o número real pode passar de 570 mil, ou seja, quase 5% da população da Capital”, explica Sérgio.

Ainda de acordo com o dirigente, o índice de 33% de contaminados entre trabalhadores da saúde é seis vezes maior que o estimado para a população em geral. “É fundamental, urgente testar todos os trabalhadores da saúde. Se a Prefeitura pretende tomar medidas interventivas orientadas pelos dados epidemiológicos sistematizados”, acrescentou Antiqueira, ao lembrar que o pedido de testagem de todos os profissionais foi uma das exigências do Sindsep na Ação Civil Pública apresentada contra a Prefeitura, em 26 de março.

O presidente do Sindsep voltou a cobrar da Secretaria Municipal de Saúde o número total de testados, em que unidades e setores se concentram os maiores índices de casos confirmados, em quais funções/cargos, se os maiores índices se encontram entre servidores públicos, contratados por Organização Social, ou entre terceirizados. Além disso, o sindicato cobrou que a pasta informe quais as organizações sociais ou empresas a que pertencem os trabalhadores infectados, assim como comunicar os profissionais que apresentem sintomas, que foram afastados e quais vieram a óbito.

Para tanto, o Sindsep encaminhou ofício formalizando as reivindicações sobre os dados referentes à testagem de trabalhadores da saúde pública municipal, bem como a transparência para obter as informações. “Onde estão publicizados estes dados apresentados na reunião de quem já foi testado e do total de 90 mil? Queremos ter acesso”, salientou.

A entidade questionou também se haverá qualificação da informação de forma a possibilitar a análise de quais trabalhadores estão adoecendo e em que circunstâncias. “Também queremos saber se as ações da gestão municipal estão orientadas para reduzir os riscos aos quais os agentes públicos da saúde estão expostos no combate ao coronavírus”.

Neste sentido, o Sindsep questionou ainda quais medidas ou ações adotadas pela Secretaria Municipal de Saúde e Autarquia Hospital Municipal se deram em consequência do alto índice de testados positivos até o momento e qual o motivo da falta de informações sobre trabalhadores afastados e falecidos nos boletins epidemiológicos.


Fonte:  Sindsep-SP - 29/05/2020


Comentários