Notícia - Atuação do Sintracomos resultou em pagamento na empreiteira G&E

Surtiu efeito a paralisação das atividades da empreiteira G&E Manutenção e Serviços na empresa Cesari Multimodal, em Cubatão, das 7 às 11 horas desta
sexta-feira (17), pelo Sintracomos.

Seis diretores do sindicato dos trabalhadores na construção civil, montagem e manutenção industrial de Santos e região chegaram à portaria da empresa às 6h30, acompanhados de 50 trabalhadores.

Com eles estavam também integrantes da comissão de desempregados de Cubatão e a mobilização levou a empreiteira a suspender a chegada dos ônibus com operários ao local.
Os sindicalistas, trabalhadores e desempregados só saíram de lá quando caíram em contas correntes os depósitos das rescisões contratuais dos empregados contratados para uma parada de manutenção.
Essa parada, envolvendo 300 terceirizados, seria na empresa de fertilizantes Yara, na mesma cidade. Desses 300 demitidos, 60 não haviam recebido os valores de rescisões de contrato de trabalho. Vale e fgts Dos 300, 180 não receberam também vales-alimentação atrasados. Como a G&E não está mais operando na Yara, o sindicato optou por paralisar suas atividades na Cesari.
No acordo feito nesta manhã, a empresa comprometeu-se a pagar os vales na próxima sexta-feira (24). O fundo de garantia por tempo de serviço (fgts), por sua vez, será liberado no dia 27.
Na Cesari, outros 150 operários trabalham no desmonte da empresa cimenteira Intercement, do grupo Camargo Corrêa. Foram esses que ficaram nos ônibus até os colegas receberem os atrasados.
Segundo o vice-presidente do sindicato, Ramilson Manoel Elói, que coordenou as atividades desta sexta-feira, as demissões da G&E na Yara aconteceram no final de março e inicio de abril.


Fonte:  Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial - 20/04/2020


Comentários