Notícia - UGT participa de ato ecumênico em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) esteve presente ao ato ecumênico, realizado na Catedral da Sé, em São Paulo, nesta segunda-feira (10), em comemoração aos 70 anos Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Ricardo Patah, presidente nacional da UGT, participou do ato e ressaltou o quanto este documento é importante para toda a humanidade. “Este foi um instrumento construído logo depois da Segunda Guerra Mundial para evitar, justamente, que as atrocidades que aconteceram nesse período não mais se repetissem”, disse.

O dirigente lembrou que apesar o avanço que representa o texto da Declaração Universal dos Direitos Humanos, infelizmente em muitos lugares esses Direitos são violados por meio dos confrontos civis, das migrações, da desigualdade social que gera miséria e morte, entre outros fatores.

“Creio eu que não é uma data a se comemorar, pois o respeito ao próximo deveria ser algo cultural, enraizado em cada cidadão e não imposto por um documento”, comentou Ricardo.

Três anos após o fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), os Estados-membros da ONU (Organização das Nações Unidas) – incluindo o Brasil assinaram a Declaração Universal dos Direitos Humanos, com o objetivo de defender os direitos do ser humano para que atrocidades, como as realizadas pelos nazistas, nunca mais acontecesse.

O texto, que é base de todas as leis contemporâneas, defende os direitos essenciais de todo o ser humano como: a liberdade de expressão e a não distinção de raça, cor, sexo, religião ou visão política.

 


Fonte:  UGT - 13/12/2018


Comentários