Buscar
Cadastro Newsletter
Redes Sociais
Acesso aos Editais

Skip Navigation LinksHome > Lista de Notícias > Notícia
Notícia - Petroleiros de todo o País dão início à Jornada Unitária de Lutas
Foto: Divulgação

Petroleiros de várias regiões do país iniciaram nesta terça-feira (13) a Jornada Unitária de Lutas, contra a privatização da Petrobras, a entrega do pré-sal e pelo fim da corrupção. A mobilização que ocorrerá até o dia 16 também repudia a proposta rebaixada de acordo coletivo apresentada pela estatal.

Organizada pelos Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista, São José dos Campos e Unificado-SP, a Jornada começou na madrugada do dia 13, com o corte de rendição à meia noite na Revap, em São José.

Atrasos de duas horas no início do expediente ocorreram em Santos, Caraguatatuba e Cubatão e foram marcados por uma forte adesão, inclusive dos trabalhadores terceirizados. Em Itanhaém, os dirigentes sindicais realizaram atividades com os trabalhadores para explicar a importância do movimento.

“A Jornada é a única forma de barrarmos a entrega da Petrobras pelo governo. A união dos diversos sindicatos é muito importante neste momento, pois também somos contra a proposta rebaixada de acordo coletivo. Os trabalhadores não vão pagar pela crise”, disse José Ademir da Silva, presidente do Sindicato dos Petroleiros de São José.

Mobilizações pelo Brasil

Além do estado de São Paulo, cortes de rendição ocorreram também em Uberaba (MG), Senador Canedo (GO) e Terminal Brasília. Segundo os sindicatos locais, a adesão à greve foi de praticamente 100%.

Ainda na terça-feira, petroleiros de Alagoas e Recife declararam greve de 24h na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen). No Rio Grande do Norte, as mobilizações começaram nesta quarta-feira (14). No Ceará e Piauí, os sindicatos realizarão atividades nos dias 15 e 20.

Repressão

Em Santos, a Polícia Militar reprimiu violentamente a manifestação dos petroleiros em frente à sede da Petrobras na manhã desta quarta-feira (14). Enquanto os trabalhadores exerciam seu direito à greve, a PM agiu com truculência, até mesmo jogando viaturas contra os sindicalistas.

Dois diretores do Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista foram detidos e um trabalhador foi ferido por uma viatura que forçou passagem entre os manifestantes.

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - 14/10/2015
 
Comentários