Cadastro Newsletter

Redes Sociais

Acesso aos Editais
 
Skip Navigation LinksHome > Lista de Notícias > Notícia
Notícia - Manifestação de rodoviários deixa fluxo de ônibus lento em Porto Alegre
Ônibus trafegam com velocidade baixa nos corredores e formam filas. Foto: Marcos Pacheco/RBS TV

Começou por volta das 8h30 a manifestação dos rodoviários de Porto Alegre. Em assembleia na terça-feira (14), eles decidiram colocar em prática a "operação tartaruga", que afeta a circulação de ônibus. Os coletivos devem trafegar entre 30 km/h e 40 km/h, segundo o sindicato da categoria. Antes do horário os veículos trafegaram normalmente.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) acompanha a movimentação nas ruas desde as primeiras horas da manhã. Os principais pontos com congestionamento em corredores de ônibus foram registrados na Avenida Osvaldo Aranha e na Avenida Farrapos às 8h40. O trânsito também ficou lento no Túnel da Conceição e na Paulo Gama, no sentido bairro-centro.

Os rodoviários pedem reajuste salarial de 14%, aumento de R$ 4 no vale-alimentação e a manutenção do plano de saúde, entre outras reivindicações. Segundo o presidente do sindicato, as negociações com as empresas de transporte não evoluíram. “Eles (empresas) não avançaram em nada no dissídio, nada no tíquete e nada no plano de saúde. Esperamos que a partir de agora eles nos chamem para negociar”, disse Júlio Gamaliel.

Ele também salienta que, caso a negociação com o sindicato patronal não evolua, a categoria pode deflagrar greve na próxima assembleia, em data a ser marcada. Na segunda-feira (13), o sindicato comunicou ao Ministério Público do Trabalho (MPT) a possibilidade de paralisação, conforme determina a lei. 

Em nota, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa) diz que propôs aos rodoviários a reposição integral da inflação medida pelo INPC (IBGE), cujo índice definitivo deverá ser publicado até meados de fevereiro. A entidade patronal diz ainda que também propôs renovar as demais cláusulas da convenção coletiva vigente como vale-alimentação, passe livre gratuito, quinquênio e garantia da função de cobrador, além de mantar o subsídio do plano de saúde.

Dependendo da adesão dos rodoviários ao movimento, a EPTC promete tomar providências para evitar maiores transtornos para passageiros dos ônibus, motoristas e pedestres.


Fonte: G1 - 16/01/2014
 
Comentários