Notícia - "A Petrobras repassa preços muito mais rápido do que ocorre em outros países", diz o presidente do BC

Nesta terça-feira (14), o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, falou que não irá alterar a política monetária a cada nova alta da inflação, mas afirmou que elevará a taxa selic onde for necessário. “Vamos levar a Selic aonde precisar, mas não vamos reagir sempre a dados de alta frequência”, disse.

Com o anúncio do IPCA de agosto, que foi de 0,87%, o mercado já considera um aumento na taxa Selic entre 1,25 e 1,50 ponto porcentual na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que ocorrerá nos dias 21 e 22 de setembro.

Aumento dos combustíveis

O presidente do BC também comentou os constantes aumentos dos combustíveis no país. Ele disse: “A Petrobras repassa preços muito mais rápido do que ocorre em outros países”. Essa fala foi para justificar o efeito na alta de commodities, que inclui o petróleo, na inflação brasileira.

Durante o governo de Michel Temer, a Petrobras alterou a política de reajuste dos preços de combustíveis que passou a seguir o valor do petróleo no mercado internacional e está sujeita a variação do câmbio.

No acumulado de 2021, o preço da gasolina aumentou em 31%, enquanto o Diesel acumula alta de 28%, segundo o IPCA.


Fonte:  Redação Mundo Sindical com informações do Jornal Estado de São Paulo - 14/09/2021


Comentários