Notícia - Terceirizada paga salário atrasado e trabalhadores encerram greve na Revap

Após pressão dos trabalhadores, em greve desde a segunda-feira (18), a empresa Método Potencial, terceirizada que presta serviços de manutenção de rotina na Refinaria Henrique Lage (Revap), em São José dos Campos, pagou o salário de setembro e a ajuda de custo (vale alimentação) de R$ 870,00, atrasados desde o dia 7 de outubro.

Com os pagamentos em dia e com o compromisso firmado para que a empresa não desconte os dias parados e nem faça retaliações, os trabalhadores decidiram em assembleia realizada na manhã desta quarta-feira (20) pelo encerramento da paralisação e a volta às atividades na refinaria.

“Ontem foi uma briga com a empresa que queria descontar os dias parados. Conquistamos o pagamento dos atrasados e nenhum prejuízo aos trabalhadores", disse o presidente em exercício do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil, Mobiliário e Montagem Industrial de São José dos Campos e Litoral Norte (Sintricom ), Marcelo Rodolfo da Costa, durante a assembleia na Portaria P4 (passarela Dutra).

"Nós fizemos um bom trabalho até aqui. Nós mobilizamos no momento certo. Nós temos fechamento, unidade. Por que se não sair o próximo pagamento de vocês nós vamos pra greve de novo. Nós não temos medo de paralisação. Nós precisamos manter a nossa unidade, ficar juntos para passar essa turbulência que a empresa está passando”, acrescentou o dirigente.

O fim da greve não parou a mobilização da categoria que continua unida para garantir que outras pendências também sejam quitadas. Além da multa pelo descumprimento de cláusulas do Acordo Coletivo vigente, a empresa tem que depositar ainda hoje o adiantamento do salário de outubro.

A direção do Sintricom e os trabalhadores também querem garantias de que a Método Potencial terá condições de honrar compromissos já assumidos como o pagamento da 1ª parcela da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de R$ 2.946,78 e da 1ª primeira parcela do 13º salário, ambas até 29 de novembro.

Uma alternativa que está sendo negociada com a direção da Revap e com a empresa é usar os valores retidos do contrato ou parte do crédito da próxima fatura, que será paga até dia 25 de outubro. Isso  evitaria que o dinheiro caia na conta da Método e seja usado para cobrir débitos com o banco/credores, o Sintricom solicitou a Método que faça uma confissão de dívida e autorize a Petrobrás a repassar o montante que cabe aos trabalhadores ao sindicato, para que a entidade sindical faça os pagamentos.

“O que nós conquistamos aqui foi muito importante. Nós estamos fazendo uma discussão com a Petrobrás para abrir um aditivo no acordo de vocês para que o dinheiro retido não passe pela Método e que vá direto pra conta de vocês, ou através do Sindicato”, disse o presidente Marcelo Rodolfo.

Solidariedade aos trabalhadores de outras refinarias

Além da REVAP, a Método Potencial está tirando o sono de centenas de trabalhadores terceirizados também na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, na Refinaria Presidente Bernardes em Cubatão (RPBC) e na Refinaria de Paulínia (Replan).  No último sábado (16), trabalhadores terceirizados de Urucu também entraram em greve contra o calote nos salários feito pela Método Potencial. 

“Nós torcemos para os trabalhadores de outras refinarias tenham o mesmo êxito que nós estamos tendo aqui. Não é justo que os trabalhadores tenham que brigar na Justiça para receber o que construíram, enquanto o dinheiro que é de vocês fica retido na Petrobrás. A Petrobrás tem que se responsabilizar e garantir que as suas contratadas honrem os pagamentos”, concluiu o presidente do Sintricom.

Movimento conta com apoio da CUT e sindicatos filiados, Feticom e Sindipetro-SJC

Além da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário do Estado de São Paulo (FETICOM ), da coordenação da CUT no Vale do Paraíba e Litoral Norte, comandada pelo sindicalista Zé Carlos dos Condutores e Sindipetro-SJC, a mobilização dos trabalhadores da Método Potencial teve o apoio do Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba, Sindicato dos Papeleiros de Jacareí e STIC MOB Jacareí (Sindicato da Construção Civil).


Fonte:   Alessandra Jorge, do Sintricom SJC e Litoral Norte / Foto: Sintricon - 20/10/2021


Comentários