Notícia - Bolsa de Valores de São Paulo é ocupada por movimentos sociais

Brasil com 14 milhões desempregados, pessoas passando fome, e as empresas lucrando em meio a pandemia, esse foi o estopim para que o MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto) e da frente Povo Sem Medo ocuparam hoje (23) o edifício-sede da Bolsa de Valores de São Paulo (B3).

Os movimentos sociais realizaram essa manifestação simbólica para deixar claro o problema da fome no Brasil atualmente, que ocorre de maneira simultânea ao enriquecimento dos estratos mais ricos do país.

"Estamos acompanhando a situação calamitosa do país, 19 milhões de pessoas passando fome, 15 milhões de desempregados, inflação nos produtos básicos, na gasolina, no botijão de gás. Do outro lado, tivemos a duplicação do número de bilionários no país. Gente que recebe dinheiro de maneira fácil, não investe no crescimento do país. Isso decorre da política de Bolsonaro de privilegiar o setor financeiro às custas da miséria do povo. Isso é o que viemos denunciar ", afirma Felipe Vono, coordenador do MTST.

Os manifestantes usaram a seguinte frase para mostrar o atual momento do Brasil: “Tá caro, a culpa é do Bolsonaro”

“Tá caro, a culpa é do Bolsonaro”, era a frase entoada pelos manifestantes e deixando claro que o governo brasileiro na figura do presidente da República e do ministro da Economia, Paulo Guedes, são os responsáveis pela fome e desemprego.


Fonte:  Redação Mundo Sindical - Manoel Paulo com informações da Folha de São Paulo - 23/09/2021


Comentários