Notícia - Metalúrgicos da Prolind/Movent rejeitam proposta de PLR e entram em estado de greve

Os trabalhadores da Prolind/Movent votaram contra a proposta de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) apresentada pela empresa. A votação em cédulas ocorreu de forma secreta nesta quinta-feira (25). 

Foram 97 votos contra a proposta, sete a favor e quatro abstenções. O pleito também aprovou o aviso de greve. Agora, a Prolind tem 48 horas para apresentar uma nova oferta de pagamento de PLR.

Rejeitado pelos metalúrgicos, o plano da empresa era pagar apenas de R$ 2 mil de PLR, um valor muito abaixo comparado ao benefício de 2019, de R$ 4.200. Durante as negociações, o Sindicato reivindicou a quantia de R$ 4.800. 

Além disso, a fábrica propôs a adoção de banco de horas, contrariando a Convenção Coletiva da categoria. Mas os metalúrgicos decidiram não aceitar este ataque, dando ao Sindicato a autorização para recusar qualquer tipo de proposta que remeta à esta prática. 

Campanha Salarial

 A direção da Prolind/Movent também tentou amarrar as negociações da Campanha Salarial 2020. A fábrica propôs apenas a inflação do período, ou seja, sem aumento real de salário.

Recentemente, o setor de autopeças da Prolind foi vendido à multinacional Movent. Juntas, elas somam 220 funcionários e produzem peças para todas as montadoras da região.

“Desde do início das negociações, esta proposta tem sido rejeitada e agora os trabalhadores demonstraram toda sua  insatisfação. Vamos pra cima, exigir uma PLR maior para os companheiros”, afirma o diretor do Sindicato Cristiano Souza Silva.


Fonte:  Sindicato dos Metalúrgicos do ABC - 26/06/2020


Comentários