Notícia - Sindicato da Sorocabana participa de audiência pública para questionar concessões das linhas da CPTM

O sindicato da sorocabana é totalmente contra ao processo de concessão das linhas ferroviárias públicas. Todo processo de privatização ou concessão implica em prejuízo para o estado e para a população.

O maior exemplo que temos é a volta da SuperVia do Rio de janeiro para o estado e também muitos problemas encontrados nas linhas em São Paulo - metrô.
Também temos o exemplo da privatização malfeita foi a ferrovia Paulista a FEPASA.

A malha ferroviária no Estado de São Paulo foi reduzida a 40% do que existia há 20 anos. O modelo de desenvolvimento adotado não se reflete no dia a dia. O que se apresenta na verdade é uma transferência da responsabilidade que é do estado para terceiros.

Não se pode cobrar de um empreendedor o fim social do seu empreendimento. É lógico que o empreendedor vai buscar o lucro e lucro nesse caso significa o custo para a sociedade e prejuízos para o trabalhador.

Os profissionais da CPTM fazem muito mais do que simplesmente efetuar as suas tarefas. Uma privatização não vai resolver o problema que foi gerado de anos de abandono.

Hoje, os trabalhadores da CPTM respondem pelo transporte de quase 3 milhões de passageiros dia. Todo sistema de transporte de passageiros da CPTM está lastreado no fator humano, ou seja, a segurança no transporte passa primordialmente pelas mãos dos ferroviários da CPTM.

A forma como o governo está tentando fazer vai minar a base de sustentação de todo o transporte ferroviário no transporte de passageiro em São Paulo. Estão desqualificando e desestruturando o profissionalismo existente na empresa.

Temos que deixar bem claro que o problema de transporte público em São Paulo não são os trabalhadores, mas sim os gestores em suas decisões equivocadas como se apresenta agora com a privatização da CPTM.

Para o sindicato da sorocabana o prejuízo é absurdo tanto financeiro como social. Quem vai pagar o custo de tudo isso é a população mais carente, pois são esses profissionais que são atendidos pela CPTM.

O governo tenta jogar a ideia de que o problema do transporte são os profissionais e isso é um enorme engodo pois são esses profissionais que dão a segurança e a condição de um transporte de massas tão importante para São Paulo.

O sindicato se fará presente na audiência pública com intuito de questionar e impor esclarecimentos da empresa para com a sociedade e para com os trabalhadores.

 


Fonte:  Assessoria de Imprensa - 26/02/2020


Comentários