Notícia - Sindegtur-RJ se reúne com guias de turismo que atuam em favelas

O Sindicato Estadual dos Guias de Turismo do Rio de Janeiro (Sindegtur-RJ) apoia o turismo de base comunitária nas favelas do Rio de Janeiro, desde que seja realizado de forma profissional e segura, dentro dos preceitos legais de utilização. O comunicado oficial do Sindicato foi lançado nas redes sociais logo após a tragédia ocorrida na Favela da Rocinha, no início da semana passada.

O Sindegtur-RJ lembra que nas favelas existem agências, bem como guias de turismo, que podem proporcionar uma visita segura e com base social. Muitas delas possuem condutores treinados para orientar o turista de forma segura, sempre prevalecendo o caráter legal do serviço.

“Em contrapartida, condenamos a utilização de transporte não legalizado para atividades turísticas, a realização de tour em equipamentos com relatos de confronto recente e a venda criminosa por agências de passeios em comunidades com relatos de confronto diários. As agências devem ser responsáveis pela segurança de seus clientes e se responsabilizar por ocorrências durante seus roteiros. E, principalmente, condenamos a pirataria dos serviços turísticos”, afirmou o presidente do Sindegtur-RJ, Fernando Baptista.

O presidente do Sindicato reafirmou sua posição em reunião na Riotur na última quarta-feira (25), na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, que avaliou o ocorrido na Rocinha em 23 de outubro. Na ocasião, foi deliberada a criação de um Comitê de Gestão de Crise para elaborar regulamentação para visitas às comunidades. O Sindegtur-RJ compõe a comissão que deverá preparar essa regulamentação, tendo como representante Fernando Baptista.

Reunião Riotur

Participaram da reunião, além da entidade sindical, o Batalhão de Polícia Especializada em Turismo (Bptur), Secretaria Estadual de Turismo, Delegacia Especial de Apoio ao Turista (Deat), Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc), entre outros.

Enquanto acompanha a investigação sobre a morte da turista espanhola na Rocinha e o início dos trabalhos do Comitê de Gestão de Crise, o Sindegtur-RJ vem se reunindo com os guias de turismo organizados e credenciados que atuam em comunidades, para discutir aspectos como segurança. “Já estivemos na Favela Pereira da Silva, o Pereirão, em Laranjeiras. Hoje (31) e amanhã, 1º de novembro, visitamos o Morro Dona Marta”, afirmou Fernando Baptista, que informou, ainda, que as próximas reuniões serão com profissionais de turismo que atuam na Rocinha e Vidigal, na zona sul do Rio.


Fonte:  Força Rio - 01/11/2017


Comentários