Eventos - Conferência Estadual de Formação da CUT-SP

9 e 10 de abril de 2019
A partir das 9h
Local: Auditório do Sindicato dos Químicos de São Paulo – Rua Tamandaré, 348 – Liberdade – São Paulo (SP)

É cada vez maior o número de empresários que investem em pesquisas e trabalhos que visam à substituição por máquinas, parcial ou integralmente, de entregadores de pizza, metalúrgicos, advogados e até médicos. Hoje, pelo mundo, já existem experiências de robôs que atuam nessas categorias citadas, junto a tantas outras, que entregam alimentos, produzem automóveis, elaboram petições e operam pacientes. Isso tudo faz parte da Quarta Revolução Industrial ou a chamada Indústria 4.0, que pode provocar o desemprego de milhares de pessoas. 

No Brasil, a tecnologia avança a passos largos, mas o debate sobre o mundo do trabalho diante da automação ainda é tímido, e muitas vezes se restringe a narrativa dos grandes empresários, que apostam no aumento do lucro ao reduzirem cargos com a robotização. Para os trabalhadores, sobram dúvidas acerca do futuro. E nesse contexto, as reformas feitas e propostas pelo governo de Michel Temer e, agora, por Jair Bolsonaro, abrem caminho para que a Indústria 4.0 ocorra sem nenhum tipo de limitação ou garantias de manutenção dos empregos. 

Diante desse cenário, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) de São Paulo realiza a etapa estadual da Conferência de Formação, encontro que irá reunir trabalhadores de todo o estado, dos mais diversos ramos, para discutir “O futuro no mundo do trabalho e os impactos na classe e na sua respectiva categoria”. O evento será nos dias 9 e 10 de abril, no auditório do Sindicato dos Químicos de São Paulo, na Liberdade. 

A etapa estadual precede a 4ª Conferência Nacional, prevista para maio de 2019, em Minas Gerais, e o objetivo é servir de base e conteúdo para a construção da política de formação da CUT para os próximos anos. Nessa etapa também serão eleitos os delegados que irão representar o estado. 

A Secretaria de Formação da CUT-SP, desde o ano passado, também tem realizado as conferências temáticas em parceria com as demais secretarias e coletivos da entidade, em temas como Mulheres, Juventude, Combate ao Racismo, Saúde do Trabalhador, Meio Ambiente, Comunicação, LGBT+, entre outros. 

Segundo Telma Aparecida Victor, professora e secretária de Formação da CUT-SP, a preparação nesses temas é importante para qualificar o enfrentamento nas ruas. “Estamos num momento complicado à classe trabalhadora, com retirada de direitos e a criminalização do movimento sindical, mas, assim como em outros momentos difíceis, vamos conseguir traçar um caminho de luta para darmos uma resposta à altura àqueles que nos atacam”, afirma a dirigente.  

A última Conferência de Formação foi em 2006, durante os governos populares e democráticos de Lula. 13 anos depois, o país vive outra realidade, que além dos desafios tecnológicos no mundo do trabalho, está sob o aprofundamento de uma crise política e econômica com a ascensão de políticos da extrema-direita, alinhados em propostas que acabam com direitos trabalhistas, como a reforma da Previdência. Nesse sentido, a Conferência pretende servir de espaço para definir estratégias de diálogo com as bases. 

“Como vivemos um momento muito tumultuado na política brasileira, temos uma tendência de achar que a Conferência vai resolver o problema, mas é importante entender que ela é parte do processo, que esse espaço terá o papel de discutir a política de formação de uma estratégia da CUT”, ressalta a dirigente.