Artigo - Diplomação e posse em Curitiba

Convidado, compareci e dou o testemunho da grandiosidade da cerimônia de diplomação e posse dos diretores eleitos do sindicato dos metalúrgicos da grande Curitiba para um mandado até 2024.

Realizada no dia 12, quinta-feira, na sede do sindicato a cerimônia contou com os quase 150 diplomados e seus familiares, funcionários, convidados do mundo sindical, autoridades e representações expressivas de responsáveis pelas empresas (desmentindo os boatos de que as lutas e conquistas sindicais afastariam do Paraná as empresas atemorizadas).

O presidente Sergio Butka enfatizou em seu discurso os compromissos da nova diretoria renovada, cada vez mais empenhada na representação das bases e nelas participante dando como exemplo as lutas e conquistas das PLRs, uma das marcas da ação sindical curitibana. Considerou a posse como início das comemorações do centenário do sindicato.

Com efeito, desde a criação em janeiro de 1920 da Liga Internacionalista de Fundidores (em uma época na qual os metalúrgicos eram imigrantes europeus, suíços e alemães, por exemplo), até hoje, a organização sindical se manteve agregando novas profissões e transformando-se no poderoso sindicato atual que representa todos os metalúrgicos.

O ex-presidente Lula enviou uma carta aos presentes, que foi lida, na qual agradeceu a solidariedade constante do sindicato e dos metalúrgicos à sua pessoa e ao que representa.

Na cerimônia foi distribuído por iniciativa do presidente da Força Sindical, Miguel Torres (que comandou também o juramento solene dos diretores), o material unitário no formato de uma carteira de trabalho que as centrais sindicais haviam distribuído durante a semana em São Paulo denunciando os malefícios da MP 905, a medida provisória do emprego verde e amarelo que derruba direitos e taxa os desempregados.

Na situação de extrema dificuldade do movimento sindical a posse, a festividade, a elegância dos participantes confirmam o orgulho da categoria metalúrgica paranaense que se demonstra capaz de agir unitariamente e consequentemente para garantir conquistas e persistir na luta dos trabalhadores, dando força a um dos mais importantes sindicatos da atualidade.


João Guilherme Vargas Netto
É membro do corpo técnico do Diap e consultor sindical de diversas entidades de trabalhadores em São Paulo